Racismo ambiental e injustiça climática: o Brasil e a Europa em foco

Evento presencial de informação e discussão em Berlim com quilombolas da CONAQ (Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos) e ativistas da Coalizão Negra Por Direitos no debate sobre o clima em relação ao racismo estrutural.
  • Quando 12/11/2021 de 19h00 para 21h00 (Europe/Berlin / UTC100)
  • Onde Theater Expedition Metropolis, Ohlauer Strasse 41, 10999 Berlin
  • Web Visite o site externo
  • Adicionar evento ao calendário iCal

A delegação brasileira do Movimento Negro e Quilombola, integrantes da Coalizão Negra Por Direitos, está chegando a Berlim, tendo participado anteriormente da Conferência Climática das Nações Unidas, COP26, em Glasgow, com o intuito de trazer vozes negras para o debate climático global, denunciando o racismo climático bem como o genocídio negro brasileiro.

O movimento ambientalista brasileiro isola o debate racial do debate ambiental, mas na ponta e nos territórios é a maioria da população negra que sente todos os dias as consequências dos desastres ambientais. Para que tanto a ação climática quanto o movimento por justiça racial sejam bem-sucedidos, essas questões precisam ser consideradas indissociáveis.


O racismo ambiental há muito prejudica os povos indígenas e a população negra no Brasil. São as comunidades negras as que menos contribuem para o colapso climático e, ainda assim, as que acabam sofrendo mais. A isto, soma-se a ameaça contínua e crescente a seus territórios provocadas principalmente pelo avanço do agronegócio sob o governo de Bolsonaro.


Mas o racismo ambiental e a injustiça climática também têm uma dimensão internacional. Por anos, esta questão tem sido negligenciada pelos países ricos, com poder na mesa das negociações climáticas, cujas indústrias são responsáveis pelo iminente colapso do clima, em detrimento dos países do Sul Global. “Não mais!”, exige a Coalizão Negra Por Direitos em um de seus documentos, por ocasião de sua turnê européia.

Estarão presentes as pessoas seguintes:

Sandra Braga (CONAQ, Goiás), Cleiton Silva (CONAQ, Bahia), Douglas Belchior (Uneafro, São Paulo), Hilton Lucas Goncalves Durão (CONAQ, Pará ), Kátia dos Santos Penha (CONAQ, Espírito Santo), Eliete Paragassu (Quilombola e líder comunitária, Bahia), Thaís Santos (Quilombaque e Uneafro, São Paulo), mediação Uriara Maciel (Comitê Ruas Marielle Franco)

Bitte beachten:

A entrada começa às 18 horas e é gratuita, mas os lugares são limitados. Além disso, o evento será realizado de acordo com a regra 3G. O evento será realizado em português com tradução consecutiva para o alemão.

Evento realizado por: FDCL (Centro de Pesquisa e Documentação Chile-América Latina), Misereor, Brasilien Initiative Berlin, Fundação Rosa Luxemburgo, Comitê Ruas Marielle Franco, KoBra (Kooperation Brasilien), ASW (Aktionsgemeinschaft Solidarische Welt) e Brot für die Welt